Análise CEPEA mercado pecuário Fevereiro 2012

    Vendas de carne não reagem, mas especulações se avolumam: No mercado atacadista de carne com osso, colaboradores do Cepea destacam que nãoestá havendo a típica reação para o abastecimento do varejo no início do mês seguinte.Os preços dos cortes com osso seguem em queda ou, no máximo, estáveis no atacadoda Grande São Paulo.Influenciados por esse comportamento das vendas de carne, representantes defrigoríficos, que não mostram grandes expectativa de reversão desse cenário, conservammoderada a demanda por animais para abate, mesmo com escalas curtas e confirmandodificuldade para novas efetivações. Esses agentes têm fechado negócio basicamentequanto se deparam com boas oportunidades, sejam de fêmeas – que em certos casosestão substituindo machos nas escalas de abate – ou de lotes em regiões mais distantes.Pecuaristas, por outro lado, também seguem recuados, especialmente quando recebempropostas nos valores menores do intervalo vigente.Alguns negócios acima do máximo do intervalo – que tem sido de até R$ 99,00 a prazo eR$ 98,00 à vista – têm sido relatados para os animais do estado de São Paulo, porémsem muita força para modificar as médias (Indicador e do estado a prazo).Entre os dias 22 e 28, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa teve variações opostas de umdia para outro, fechando o período com ligeira queda de 0,36%, a R$ 96,21. Também emrelação ao dia 22, a média ponderada a prazo do estado de SP, teve aumento de 1%,passando dos R$ 96,97 para os R$ 98,00 – todos sem Funrural.Nesse mesmo período, outras praças também tiveram pequenas altas, mas houve aindaaquelas onde os valores médios diminuíram. Mato Grosso teve alguns dos menorespreços médios dessa terça, 28. Em Cuiabá, a arroba de boi à vista esteve a R$ 86,19 e,em Colider, a R$ 83,89. Os maiores preços do conjunto de regiões pesquisadas peloCepea, por sua vez, estão no Rio Grande do Sul, com 15 quilos morto equivalendo a R$98,70, e em três das quatro regiões paulistas, que fecharam em torno de R$ 97,00 à vista(prazo descontado pela taxa CDI).Sem o fôlego que seria típico do final do mês, o mercado atacadista de carne bovina comosso da Grande São Paulo segue com preços estáveis ou em queda. A carcaça casadade vaca casada desvalorizou 4,3% em conseqüência da maior oferta dessa carne, queteve média de R$ 5,55/kg nessa terça-feira. Já a média da carcaça casada do boi sesustentou, tendo apenas ligeira baixa de 0,16% em comparação à quarta-feira passada,sendo negociado a R$ 6,20/kg nessa terça. O dianteiro e a ponta de agulha tambémtiveram pequenas quedas no período, de 0,22% e de 1,1%, comercializados a R$ 4,62/kge a R$ 4,48/kg, respectivamente nessa terça. O preço do traseiro seguiu sem variação, aR$ 7,95/kg.Quanto às carnes substitutas, tanto os preços do suíno quanto os do frango acumularamqueda nos últimos dias. A carcaça comum suína desvalorizou 2,9% desde a quarta-feirapassada, a R$ 3,88/kg nessa terça, e a média do frango resfriado teve queda de 5,8%,indo para R$ 2,78/kg.No segmento de animais de reposição, o Indicador do bezerro ESALQ/BM&FBovespa(animal nelore, de 8 a 12 meses, Mato Grosso do Sul) teve ligeira alta de 0,5% entre 22 e28 de fevereiro, fechando a R$ 707,70 nessa terça-feira. A média do bezerro São Paulotambém subiu, de 0,93%, a R$ 722,00 nessa terça.

    Categorias: Pecuária.
    Tags: , , , , , , , , , .
    Bookmark the permalink.

    Comments are closed.